Vamos chorar pela morte de crianças, diz secretário sobre volta às aulas no Estado

Mayke Toscano

Gilberto Figueiredo

Secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo explicou que o Estado tem 25 leitos de UTI pediátricos e ocupação é baixa, mas pode subir com abertura

O secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, afirmou que, com a possibilidade de retorno das aulas presenciais nas escolas de Mato Grosso “vamos ter que chorar com o falecimento de crianças”. Gilberto ainda revelou que, além da volta às aulas, a pressão da classe ecônomica para reabertura do comércio, fazem com que ele tenha uma “visão pessimista” da pandemia do novo coronavírus no Estado. 

Gilberto falou sobre a questão em transmissão ao vivo nas redes sociais na quarta (15). De acordo com ele, são 25 leitos de UTI pediátricos, reservados exclusivamente para atender crianças em estado grave da Covid-19. Delas, quatro estão ocupadas, sendo duas no Hospital Estadual Santa Casa e duas no Pronto Socorro de Cuiabá.

A taxa de ocupação nas duas unidades é de 20% e 13,3%, respectivamente. No entanto, a ressalva do secretário com a volta às aulas presenciais é pelo fato de que as crianças, apesar de não serem as mais vulneráveis ao vírus, ajudam a disseminá-lo. 

“Ela [a criança] vai ter contato, de alguma forma, com alguém infectado, vai levar essa infecção para dentro de casa e vai infectar aqueles que são vulneráveis (pais e avós, principalmente aqueles que têm cormobidades)”, explicou.

Para ele, é uma “utopia” pensar em garantir a segurança das crianças em um cenário de possível retorno das aulas. “Se é difícil convencer e manter distanciamento social nos adultos, como fazer isso com crianças? Como fazer uma criança usar máscara?”, questionou.

Fonte: RDnews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *