Riva diz que R$ 2,5 milhões foi só a partida para comprar vaga no TCE

Imagem: (Reprodução/Olhar direto)

image

O ex-deputado e presidiário José Riva delatou em vídeo que R$ 2,5 milhões do dinheiro desviado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), entre os anos de 2005 e 2009, foram utilizados para compra do cargo de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE) para o então deputado Sérgio Ricardo.

A gravação faz parte da delação feita por Riva em outubro de 2019. O material foi divulgado nesta semana e revela que os R$ 2,5 milhões serviram de pagamento inicial para a compra da vaga do conselheiro, que também teria negociado a aquisição de outra cadeira no TCE para Alencar Soares.

Conforme noticiado pelo portal , Riva aponta em vídeo que diversos contratos fraudulentos foram firmados entre o Parlamento e empresas do grupo Nassarden. O esquema consistia em acordos para compra de materiais de escritório e informática nos quais apenas uma pequena parte dos produtos eram entregues e o dinheiro referente ao restante era revertido em recurso para propina e outra ações ilícitas.

Além de financiar a compra de vagas no TCE, de acordo com o ex-deputado, os R$ 43,5 milhões desviados também eram utilizados para o pagamento de “mensalinhos” aos deputados, compra de votos em votações da mesa diretora e outras ações ilícitas.

Chefiadas pelo mesmo grupo, as empresas retiveram para si mesmas cerca de 20% do saldo dos esquemas, enquanto os outros 80% eram utilizados pelos políticos envolvidos na ação. Ao longo de mais de 20 minutos de vídeo, Riva detalha a lista de pessoas que participaram do esquema, que teria como um de seus principais agentes ativos o então secretário geral à época, Edemar Nestor Adams.

Fonte: Estadão MT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *