23 de Maio, 2022

Policiais estão entre bandidos que transportavam R$ 23 milhões em barras de ouro

Seis pessoas foram detidas transportando 77 quilos de ouro em barras, em São Paulo. Quatro deles eram policiais militares. O avião com a carga pousou no aeroporto de Sorocaba, no interior de São Paulo, com ouro que teria sido extraído ilegalmente de garimpos clandestinos de Mato Grosso e do Pará.

Entre os detidos, estão o tenente-coronel Marcelo Tasso e o sargento Gildsmar Canuto. Os dois estão vinculados à Casa Militar do governo paulista, um órgão com status de Secretaria de Estado, responsável pela Defesa Civil e pela segurança pessoal do governador.

Policiais militares foram detidos com 77 quilos de ouro em barras

Imagens feitas pelas câmeras do local mostram quatro homens com malas do minério. Dentro delas, segundo a Polícia Federal, havia 77 quilos de ouro.

A carga, avaliada em R$ 23 milhões, foi colocada no porta-malas de dois carros, que seguiram viagem pela Rodovia Castello Branco, em direção à capital paulista, até serem parados por policiais rodoviários estaduais na altura da cidade de Itu.

A operação é desdobramento de um inquérito – Operação Ricezione – que apura um esquema de sonegação fiscal e receptação de ouro extraído ilegalmente de garimpos clandestinos nas regiões Norte e Centro-Oeste do país. No mês passado, a Polícia Federal cumpriu dez mandados de busca e apreensão em São Paulo, no Pará e em Mato Grosso, e conseguiu o sequestro judicial de um avião usado pelos suspeitos, o mesmo apreendido nesta quarta em Sorocaba.

O registro na Agência Nacional de Aviação Civil mostra que a aeronave pertence à empresa Embravision Trading e é operada pela agropecuária Ouro Verde. O avião está proibido de fazer táxi aéreo. A confirmação do sequestro judicial aparece neste item.

A Polícia Federal instaurou um inquérito para apurar os crimes de receptação e usurpação de bens da União, que é quando alguma matéria-prima do país é explorada sem autorização legal. Os agentes agora vão investigar quem é o dono da carga e qual era o destino dela. Também vão analisar a documentação apresentada e periciar o ouro.

– Reporter MT

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.