Na cidade dos evangélicos, PSL e PT marcham juntos na eleição municipal

Conservadora até a alma, São Pedro dos Crentes, no sul do Maranhão, é provavelmente a cidade mais evangélica do Brasil, como o próprio nome indica. A eleição municipal nesse pequeno lugar de 5.000 habitantes é um retrato fiel das contradições da política brasileira.

O prefeito e candidato à reeleição é Dr. Lahesio Bonfim, um conhecido médico da cidade que no ano passado trocou o PSDB, pelo qual se elegeu em 2016, pelo PSL. Seu objetivo era estar mais afinado com Jair Bolsonaro, mas esse alinhamento durou pouco, já que o presidente deixou a legenda e tenta formar um novo partido, o Aliança Pelo Brasil.

Bolsonaro teve na cidade 57,5% dos votos no segundo turno de 2018, o que faz de São Pedro dos Crentes um reduto bolsonarista num Maranhão tingido de vermelho. Só para comparar, o petista Fernando Haddad teve 73,2% dos votos no estado inteiro.

“Eu sou amigo do presidente, tenho afinidade com ele, então fui para o PSL. Continuo apoiando Bolsonaro, não me arrependo nem uma vírgula”, diz Bonfim.

A primeira peculiaridade da eleição municipal começa na coligação que apoia o prefeito. O único partido coligado ao PSL é o PT. O atual vice-prefeito, aliás, é um petista, que neste ano se candidatará a vereador na coligação de Bonfim.

Para justificar a aliança, o prefeito repete uma explicação consagrada na política nacional: partidos no Brasil são peças de ficção, o que conta são as pessoas.

“A gente tem que se ligar aos homens, não aos partidos. Os partidos são só roubalheira. O pessoal do PT aqui está conosco há mais de 20 anos. São pessoas que têm os mesmos valores que os meus”, diz. Temas nacionais, afirma ele, não entram na campanha.

São Pedro dos Crentes tem uma história sui generis. Surgiu a partir de uma grande propriedade da Assembleia de Deus, maior denominação evangélica do país. Na década de 1940, a fazenda São Pedro foi divida em lotes doados para família evangélicas que vieram de fora colonizar a região, dando origem a uma vila pertencente à cidade de Estreito (MA). Em 1994, houve a emancipação, e São Pedro dos Crentes se tornou município.

Segundo dados do IBGE de 2010, os evangélicos são 51% na cidade, contra uma média nacional de 29%. Mas os moradores locais dizem que esse dado está subestimado, e que os evangélicos são pelo menos 70% da população.

Estive lá em março do ano passado, e uma das coisas que chamam a atenção é a quantidade de igrejas evangélicas em sua meia dúzia de ruas. Nos estabelecimentos comerciais, é comum haver uma passagem bíblica pintada na parede. Há três botecos atendendo à minoria de “desviados”, como são chamados os não evangélicos.

Bolsonaro, diz o prefeito, segue tendo grande apoio popular no município, especialmente após seu governo ter realizado uma ação transformadora na cidade: a abertura de um posto do Banco do Brasil. 

Antes, os moradores tinham que se deslocar 40 km até o município mais próximo para ir a uma agência bancária. A única frustração da população, diz o prefeito, é Bolsonaro até agora não ter visitado o município.

Bonfim reclama que a direção estadual do PSL não dá atenção merecida a esse reduto da direita no coração do Nordeste. A cidade, além de ser governada pelo partido, tem 6 dos 9 vereadores pertencentes à legenda, todos disputando reeleição.

Mas os candidatos estão à míngua, diz o prefeito. Depois de muita reclamação, o diretório municipal recebeu R$ 20 mil para fazer a campanha, dinheiro que foi repartido entre os candidatos a vereador.

“Não dá nem para pagar a gráfica, advogados, contabilidade. Não tiveram consideração conosco”, afirma Bonfim, que garante não estar usando recursos do fundo público para si.

Confiante na vitória, Bonfim diz que não está fazendo campanha e espera ganhar sem fazer muita força. Sua única adversária é Leila Coutinho, do Republicanos, que teria sido tirada da cartola pelo governador Flávio Dino (PC do B) para que houvesse alguma disputa.

Essa é mais uma esquisitice da disputa na cidade dos crentes, uma candidata de um partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus bancada por um governador comunista.

Mas há ainda outra: o candidato a vice na chapa de Coutinho é um ex-petista chamado Claudio Quaresma. Seu nome de urna é Manim do PT, embora seja filiado ao Republicanos. Em São Pedro dos Crentes, a política desafia até os mais crédulos.

Fonte: Folha de São Paulo – notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *