Morre John Lewis, emblemático ativista dos direitos civis nos EUA

John Lewis, o pacifista defensor dos direitos civis dos negros que marchou com Martin Luther King Jr. e foi congressista durante décadas, morreu aos 80 anos, anunciou nesta sexta-feira (17) a Câmara de Representantes dos Estados Unidos.

“Hoje, os Estados Unidos choram a perda de um dos maiores heróis de sua história”, declarou a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, em nota.

Pelosi descreveu Lewis, que não resistiu a um câncer de próstata, como “um titã do movimento dos direitos civis cuja bondade, fé e valentia transformaram nossa nação”.

Filho de meeiros, Lewis foi um dos mais jovens integrantes dos “Viajantes da Liberdade”, que lutaram contra a segregação racial no sistema de transporte público dos Estados Unidos no início dos anos 1960, e se tornou uma das vozes mais poderosas da defesa da justiça e da igualdade.

Em outubro de 2018, Lewis enviou uma carta para o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, na qual dizia ter “fortes preocupações” com o aumento da “ameaça à democracia, aos direitos humanos e ao Estado de Direito no Brasil”.

Ele escreveu que “a retórica da recente eleição, a violência política, os relatos de notícias falsas e a desinformação pavimentam o caminho em direção a um declínio perigoso em um país no qual muitos têm esperança e fé.”

Fonte: Folha de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *