MATO GROSSO; Casal é indiciado por aplicar golpes que chegam a R$ 1 milhão em mais de 80 pessoas

Além das vítimas que registraram boletins de ocorrência nas cidades mencionadas e que deram origem ao inquérito, após a Operação Fidere surgiram mais 65 vítimas dos golpes de estelionato.

Um casal foi indiciado pela Polícia Civil pelos crimes de estelionato e falsificação de documento particular praticado contra dezenas de vítimas identificadas em vários municípios do estado. A Polícia Civil estima que o crime tenha movimentado aproximadamente R$ 1 milhão em dois anos.

Um dos indiciados está preso preventivamente desde o dia 25 de junho, quando a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) deflagrou a operação Fidere para cumprir mandados judiciais de prisão e de buscas contra o homem, suspeito de praticar estelionato nas cidades de Rondonópolis, Paranatinga, Novo São Joaquim, Itiquira, Jaciara e Guiratinga.

O inquérito policial, com mais de 600 páginas, foi concluído com farto elemento probatório de autoria e materialidade sobre os crimes praticados pelo investigado de 34 anos e sua companheira, que o teria auxiliado nos delitos.

A equipe da Derf identificou até o momento 84 vítimas da dupla, sendo que uma delas é mãe da mulher indiciada. Além das vítimas que registraram boletins de ocorrência nas cidades mencionadas e que deram origem ao inquérito, após a Operação Fidere surgiram mais 65 vítimas dos golpes de estelionato.

Golpes e investigação

As investigações começaram em 2019, após diversas pessoas procurarem a Polícia Civil nas cidades de Rondonópolis, Paranatinga, Novo São Joaquim, Itiquira, Jaciara e Guiratinga. As vítimas informaram à Polícia Civil que tiveram seus nomes negativados pelos serviços de proteção ao crédito por inadimplência em contratos de empréstimos bancários, em que figuraram como avalistas, sendo que nunca contrataram ou deram anuência para as operações.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *