Mamadeira de piroca reloaded

Jair Bolsonaro sabe que o melhor remédio para uma crise de popularidade é mamadeira de piroca. Nada como requentar uma mentira que envolve sexo e servir ao eleitorado, como fez nesta terça (14) ao afirmar que a esquerda quer “descriminalizar a pedofilia, transformando-a em uma mera doença ou opção sexual”.

O resultado foi imediato. Seguidores sedentos por um biscoito para alimentar sua fome contra inimigos políticos responderam com engajamento muito maior do que o presidente tem em suas redes sociais quando faz de conta que governa. Nem os tuítes em que mente sobre o uso da cloroquina rendem tanto.

A postagem é resposta às cobranças da enfraquecida ala ideológica do governo que tem sinalizado a perda de apoio no ambiente virtual, considerado estratégico por eles, e agravada pelo comportamento domesticado do presidente.

Para distrair a seita, Bolsonaro requentou um assunto de 2018, quando acusou Fernando Haddad (PT) de defender a “descriminalização da pedofilia”, um dos absurdos do combo de delírios bolsonarista, que ainda tinha “kit gay”.

O presidente, não sabemos, distorce as questões sobre a pedofilia pela própria ignorância ou em clara oposição ao que diz a ciência. O fato é que seu discurso desce como uma cerveja gelada pela goela da massa de analfabetos funcionais que o apoia.

Segundo a OMS, pedofilia é um transtorno mental. Não é crime previsto no Código Penal, mas o comportamento do pedófilo pode ser criminalizado com base no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Portanto, estupro de vulnerável, produção de vídeo ou fotos de sexo ou nudez que envolvam menores são crimes. Bolsonaro quer fazer crer que, ao se apontar a distinção entre as duas coisas, exista a intenção de “normalizar” a prática da pedofilia. E seus seguidores aplaudem. Bem, o que esperar de quem acredita em mamadeira de piroca?

Fonte: Uol – Cotidiano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *