Jayme dispara que Fávaro está com saco de dinheiro e será garoto de recado – ouça

O senador Jayme Campos (DEM) disparou a metralhadora verborrágica contra Carlos Fávaro (PSD), ao pedir votos para Nilson Leitão (PSDB), que tem seu irmão Júlio Campos (DEM) como suplente, no hotel fazenda Mato Grosso na noite desta quinta (5). Sem citar nomes, Jayme disse que tem candidato,  que tem a cara de pau de dizer que conseguiu R$ 1,4 bilhão para Mato Grosso.

 “Isso é o maior estelionato que tem. Isso é falar mentira para o povo de Mato Grosso. Não posso acreditar nessa cara de pau, não tem envergonha”, dispara numa referência ao fato de Fávaro dizer que, graças a sua emenda, o Estado recebeu o montante relativo ao Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus. Ocorre que Fávaro apresentou emenda que alterou o cálculo e elevou o valor que Mato Grosso e outros Estados teriam direito, ao incluir o Fex.

Edson Rodrigues

Jayme Discurso

Irritado, Jayme disse que trata-se do mesmo senador que usou de artifícios nada éticos e republicanos para cassar a senadora Selma Arruda – que perdeu o mandato por crime de caixa 2 e abuso de poder econômico. Terceiro colocado na disputa, Fávaro atuou de forma intensa no processo contra Selma e, após a cassação, conseguiu o direito de assumir como “senador tampão” até que a nova eleição seja realizada.

“Esse mesmo cidadão está com um saco de dinheiro aí tentando comprar prefeito, vereador e o cidadão mato-grossense. Vamos pegar esse dinheiro porque com certeza, não (inaudível) esse dinheiro é desviado, talvez é do cidadão que não paga impostos, cidadão que quer fazer do cargo dele um estafeta, quer fazer dele um  fazer dele um mensageiro, um garoto de recado” – ouça.

Por outro lado, alega que Leitão, se eleito, vai atuar de forma independente e votando aquilo que for importante para o Estado porque, assim com ele, o tucano não será marionete de ninguém.

 No discurso, Jayme também destacou o alinhamento de Leitão com ele e com Wellington Fagundes e fez questão de alfinetar o governador Mauro Mendes, que é filiado ao seu partido, mas apoia Fávaro ao Senado. “Aqui não tem pressão de governo para trazer funcionário público, aqui não tem pressão do governo estadual e muito municipal”, disse ao se referir as pessoas presentes no encontro “Mato Grosso por Inteiro”.

Fonte: RDnews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *