Governo estuda como remanejar UTIs da Covid para outros fins, com contágio baixo

Com a redução do número de pacientes com Covid-19 internados em UTIs públicas de Mato Grosso, o Governo estuda remanejamento de leitos intensivos disponibilizados à pandemia para as demais enfermidades e necessidades.

Tanto o governador Mauro Mendes (DEM) quanto o secretário de Estado de Saúde (SES) Gilberto Figueiredo falaram sobre este estudo de caso nesta manhã (6), durante inauguração da obra do Hospital Central de Alta Complexidade, na Capital, mas não deram qualquer indicativo ainda de como isso será executado.

Rodinei Crescêncio

mauro e gilberto

Até o momento, após mais de 9 meses de enfrentamento ao coronavírus, houve mudança apenas na UTI da Santa Casa. Foram remanejados 30 leitos para o Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, referência exclusiva para Covid. Isso foi feito, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, dentro do contexto de retomada das cirurgias eletivas. Quando pacientes saem do centro cirúrgico são encaminhados à UTI e por isso para fila andar é preciso dispobilizar tais leitos intensivos. A Santa Casa no entanto segue referência da Covid-19, tanto com enfermaria quanto UTIs.

O governador disse que não descarta uma segunda onda de contágio, porque diante de uma pandemia não é possível fazer previsões com 100% de acerto. Mas as decisões serão tomadas a cada momento, sem preciptação. Diversas previsões feitas com base na “numerologia”, segundo ele, estavam equivocadas.

O secretário Gilberto reforçou que as decisões a serem tomadas no momento oportuno, levando em conta o cenário epidemiológico.

Fonte: RDnews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *