23 de Maio, 2022

//golpe contra a Saúde Pública// Prefeito de Cuiabá anuncia processo de chamada pública na Secretaria da saúde e pode reeditar irregularidades que chegaram a provocar o seu afastamento

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), pode enfrentar dura reação no que está sendo definido em mais um ‘golpe contra a Saúde Pública’ na capital. Ontem (26) ele anunciou que fará um processo de chamada pública para credenciamento de serviços médicos anunciado ontem. Nos bastidores, a informação é que a medida seria na prática a reedição das irregularidades que chegaram a provocar o afastamento temporário do prefeito.

Fontes ouvidas pela reportagem informam que vários servidores da pasta já falam em pedir demissão em massa por não concordarem com a medida. Conforme eles, a pretexto de suprir vagas na rede municipal, a Secretaria de Saúde já estaria lotando médicos de forma irregular e autorizando o pagamento de plantões que de fato não são realizados.
Os contratos seriam uma imposição do prefeito, com o consentimento da secretária de Saúde, Suelen Alliend, e do secretário adjunto, Gilmar Cardoso. A maior beneficiária seria uma empresa pertencente a um médico investigado e chefe da operação ‘Overpriced’.

“Tudo indica que eles decidiram continuar saqueando os recursos da saúde. Enquanto isso o povo segue morrendo nas filas, sem o atendimento adequado”, disse um servidor que pediu para não ser identificado.
Os servidores dizem que já informaram os gestores da Secretaria de Saúde sobre as irregularidades, manifestando a possibilidade de abandonarem cargos comissionados caso a situação não seja resolvida na forma da lei.

SINDICATO
Nesta semana o Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed) também criticou as contratações irregulares e voltou a cobrar a realização de um amplo concurso público para preencher as vagas existentes.

O presidente do sindicato, Adeildo Lucena, lembrou que já há determinação judicial exigindo a realização do concurso. Em entrevista a um site da capital, ele chegou a cogitar que o prefeito permita as falhas nas escalas de plantões de forma deliberada para ‘justificar’ as contatações temporárias.
“Nesse momento, para ter controle político sobre o setor da Saúde, a Prefeitura implanta o caos para colher frutos nas pretensas eleições de seus familiares”, afirmou ele referindo-se ao projeto de reeleição do deputado federal Emanuel Pinheiro Júnior, filho do prefeito.

Fonte/redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.