Estudantes de medicina da UFMT pedem retorno das aulas práticas no Júlio Muller

julio muller 680

Estudantes de medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) solicitaram retorno imediato das aulas práticas no Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM), em Cuiabá. Por meio de nota assinada pelo Centro Acadêmico, eles expressaram indignação com o que consideraram negligência e falta de compromisso por parte da unidade hospitalar.

“É previsto na portaria interministerial nº 285 de 24 de março de 2015 que o HUJM comporte contínua e permanentemente as atividades currículares dos alunos de medicina da UFMT. No entanto, o que se vê na prática é, há oito meses, um permanente desrespeito a esta disposição normativa, de cunho obrigatório”, diz trecho do documento.

De acordo com os discentes, atividades de ensino foram encerradas no dia 11 de março de 2020, em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Com isto, ao menos 375 estudantes deixaram de realizar as atividades práticas no hospital.

Em maio, Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) autorizou o retorno dos internos, que estão nos últimos dois anos de graduação. Ainda assim, no entanto, segundo os estudantes, 69 internos e outros 227 alunos do ciclo básico permanecem sem atividades básicas e sem perspectivas de continuá-las.

“Desde supracitada decisão do Consepe, acadêmicos e a Faculdade de Medicina, por meio de sua direção e coordenação de curso, vêm cobrando exaustivamente um plano de retorno às prátiocas e não obtivemos até então este plano de retorno, tampouco uma justificativa”, disseram os estudantes.

Para destacar a importância das atividades práticas, estudantes citaram que o hospital é referência em setores como pediatria, nefrologia, gestação de alto risco, reumatologia, urologia e doenças infectoparasitárias, por exemplo.

“Além de tudo, é centro de pesquisa e desenvolvimento de novos tratamentos. Assim, a presença dos internos é fundamental para o funcionamento do hospital em todos os seus setores, sendo indiscutível o prejuízo que a população de Mato Grosso tem sofrido”, afirmaram.

“A gerência do HUJM parece estar alheia e indisposta a trabalhar conosco, o que é, no mínimo, absurdo, considerando que o HUJM, como hospital escola, assume o viés fundamental de ensino médico. Desta forma, desconsiderar o pedido dos alunos da Faculdade de Medicina é, portanto, desvirtuar o maior motivo de sua existência”, finalizaram.

Possível retorno

Em retificação, Centro Acadêmico esclareceu que Gerência de Ensino e Pesquisa do hospital convocou reunião e se propôs a planejar um calendário para retorno ainda nesta semana.

A reportagem do tentou contato com a assessoria do Hospital Universitário Júlio Muller, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. O espaço segue aberto para posicionamento. 

Fonte: RDnews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *