Câmara Municipal de cuiaba cassa o mandato de Abílio com 14 votos

Após 14 horas de sessão, a Câmara Municipal cassou, nesta sexta-feira (6), por 14 votos contra a 11 o mandato do vereador Abílio Júnior (PSC), por quebra de decoro parlamentar.

A sessão extraordinária que cassou o mandato do parlamentar foi convocada na quarta-feira (4), no mesmo dia que a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) emitiu um parecer pela nulidade e arquivamento do processo, entretanto nesta sexta-feira, o mesmo foi derrubado pela maioria.

O primeiro a declarar o voto pela cassação foi o presidente da Casa, Misael Galvão (PTB). “Estamos vivendo aqui hoje um dos momentos mais difíceis e duros dessa Casa de Lei. Aqui não é uma família, aqui não uma irmandade, não é uma cooperativa, aqui não é uma associação. Estamos aqui a mando da sociedade, pelo voto popular que nos conduziram a esse parlamento. Minha decisão é técnica e difícil de ser tomada. Na condição de presidente eu tenho que ser o primeiro a dar exemplo, no sentido de fazer valer a legislação. Esse processo da Comissão de Ética deu a oportunidade de ouvir, analisar, defender e acusar e tinha que chegar a esse ponto”, destacou Misael ressaltando que os atos praticados por Abílio são incompatíveis com a Câmara.

Adevair Cabral (PSDB); Delegado Marcos Veloso (PV); Orivaldo da Farmácia (Progressistas); Chico 2000 (PL); Ricardo Saad (PSDB); Dr. Xavier (PTC); Juca do Guaraná (Avante); Justino Malheiro (PV); Luis Cláudio (Progressistas); Marcrean Santos (PRTB); Mário Nadaf (PV); Renivaldo Nascimento (PSDB); Toninho de Sousa (PSD) também votaram pela cassação de Abílio.

Votaram contra a cassação Abílio Júnior (PSC), Vinicius Hugueney (PP),Cleber Borges (DC), Diego Guimarães (PP), Dilemário Alencar (PROS), Felipe Wellaton (PV), Gilberto Figueiredo (PSB), Lilo Pinheiro (PDT), Marcelo Bussiki (PSB), Sargento Joelson (PSC) e Wilson Kero Kero (PSL).

Duras críticas

Vereadores como Ricardo Saad (PSDB), Chico 2000 (PL), Juca do Guaraná Filho (Avante), Luis Cláudio (Progressistas), Renivaldo Nascimento (PSDB), Toninho de Souza (PSDB) e Dr. Xavier (PTC) durante suas falas na tribuna criticaram duramente a postura de Abílio.

“O senhor quer desmerecer minha história de 40 anos. Vou fazer questão de mostrar quem é você. Quatorze processos e mais de 40 boletins de ocorrência nas costas. O senhor é cínico. O senhor é uma afronta. Qual projeto de lei o senhor tem em três anos? O senhor é um fiasco, porcaria de vergonha de vereador”, disse Saad.

“Quero dizer ao Abílio. Ele falou ironicamente Juca do Pó do Guaraná.Tenho muito orgulho do meu nome. Antes de você nascer, meu pai foi longe, no Amazonas, trazer guaraná para vender no comércio. Trabalhei desde cedo com meu pai, tenho vida decente e honrada”, pontuou Juca.

“Tenho meu CPF e respondo por meus atos. Não sou responsável por atos cometidos por ninguém. E você responde pelos seus, jamais vou imputar a você o que Rivelino Brunini fez, ele mexia com caça-níquel, com jogo do bicho, armou para matar o comendador João Arcanjo. Você não tem culpa de sua mãe ser funcionária fantasma, seu irmão ser funcionário fantasma. Você teve preconceito até com minha cor. Você terá tempo para refletir seus atos”, completou.

Renivaldo, que também já teve desafetos com Abílio, nesta sexta-feira (6), afirmou que não tinha nada contra o colega, porém ele estaria respondendo pelos seus atos. “Não me sinto feliz nesse momento. Vou sentir uma tristeza muito forte, mas quero deixar muito claro que o senhor está respondendo por seus atos”.

Tempo para defesa

Os vereadores tiveram cinco minutos para debater cassação e logo após foi a vez de Abílio se defender, por duas horas.

“Minha meta não é ficar aqui, minha meta é tirar vocês daqui. Tirar Nadaf, o Juca, o Renivaldo, o Saad, o Xavier, Luis Claudio, Misael, Marcrean, Veloso, o Adevair. Eu poderia ter judicializado esse processo muito antes para não chegar a esse ponto, mas quero expor vocês. A sociedade verá a podridão que vocês são”.

Durante sua defesa, o parlamentar apresenta vídeos, entre eles um em que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) aparece recebendo maços de dinheiro e o outro do depoimento da servidora do Hospital São Benedito, Elisabeth Maria de Almeida à Comissão de Ética da Casa. Na ocasião ela conta que presenciou vereadores recebendo dinheiro, durante um encontro na casa do Juca do Guaraná, para agilizar o processo de cassação de Abílio.

Outro vídeo é reproduzido, desta vez o depoimento de servidor do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), identificado como Gonçalo, também à Comissão de Ética. “Essa sessão vai ficar para história dessa Casa. São tantas anomalias que acontecem aqui”, disse Abílio.

“Cassar ele [Abílio] pelo ímpeto dele não é certo. Casse ele por quebra de decoro. Vocês vieram aqui, cada um de vocês vereadores, nenhum justificou o crime praticado pelo Abílio”, completou o advogado responsável pela defesa de Abílio, Carlos Rafael, citando uma passagem bíblica.

fonte: hipernoticias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *