Apresentado oficialmente como reforço do Fluminense, Felipe Melo não teve papas na língua — como sempre. Logo de cara, afirmou não ligar para a opinião de quem pensa que um jogador de 38 anos está ultrapassado para exercer sua profissão.

— Não chego para falar, chego para fazer. Um atleta com 38 anos não pode trabalhar? Entendo que falar até papagaio fala. Eu falo com os meus números. Ano passado, talvez seja o ano que mais joguei na minha carreira. Venho de duas conquistas de Libertadores. O torcedor que acha que sou velho, pode torcer para outro. Preciso da minha família, dos meus companheiros e do verdadeiro torcedor, aquele que realmente torce por mim. Quem torce contra vai chorar no final do ano, como nos outros anos — disse ele.

Ao ser perguntado sobre seu posicionamento político, o volante também disparou:

— Se você deixa de torcer para o seu time por posição política, você não é torcedor de verdade. Dentro de campo, dentro do clube, estamos aqui para falar de futebol. Estou aqui para falar de Fluminense, de que temos esperança por títulos. Respeito posição política, religiosa e peço que respeitem a minha, mas não estou aqui no Fluminense pra falar de política. As pessoas estão se matando demais para eu falar de política.

o globo