Alceu Valença defende artistas que usam a Lei Rouanet

Na presença de Pedro Bial, o cantor pernambucano falou sobre carreira, redes sociais e direitos artísticos.

O que leva uma música lançada há mais de 37 anos atrás virar hino da nova geração? “Anunciação”, canção composta por Alceu Valença é, segundo ele, uma música de esperança. O convidado do Conversa com Bial desta sexta-feira, 19/6, despontou em meados dos anos 1970 mesclando diversos elementos aos ritmos nordestinos. Como consequência, o aconchego de suas obras atraíam um público diverso por toda a sua carreira.

Alceu Valença conversa com Pedro Bial — Foto: Reprodução/TV Globo

Em um papo íntimo e divertido, Alceu emenda histórias e aborda assuntos diversos direto da sala de sua casa. Sempre muito preciso em suas recordações, lembra de episódios importantes da sua trajetória como artista.

No programa, o cantor se apresenta com “Anunciação” e conta como foi o processo espontâneo de composição. A BialAlceu também revela como conheceu a musa inspiradora por trás de “La Belle de Jour”.

Neste período em que as consequências do coronavírus também prejudicam a indústria cultural, o artista já realizou duas lives para arrecadar doações. No entanto, Pedro Bial chama atenção ao período anterior à pandemia, em que o presidente da República não apoiava publicamente a Lei Rouanet e anunciou mudanças no regulamento.

Mesmo sem ter feito uso, Alceu saiu em defesa dos músicos. “Ela favorece a indústria”, explica. O cantor protesta contra a estigmatização de sua classe: “artista era para ser bêbado, artista era para ser irresponsável, isso quando eu era menino.”

“O artista tem uma relação de se antecipar ao tempo”
Fonte: Gshow

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *