Advogado alvo de medida protetiva diz que não se encontrar com médica há 4 anos

Reprodução

Advogado Cleverson Cont�

Advogado Cleverson Contó é acusado por ex-namoradas de agressões físicas e psicológicas

A defesa do advogado Cleverson Contó afirma que o cliente está há quatro anos sem se encontrar com a ex-namorada médica Laryssa Moraes Alves Correa. “E não possui nenhuma intenção de o fazer”, traz nota. A profissional da saúde teve um pedido de medida protetiva aceito pela Justiça na última semana.

Conforme decisão do juiz Jeverson Luiz Quintieri da 2ª Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Cuiabá, Contó não pode se aproximar da ex-namorada em um quilômetro de distância. Entre 2016 e 2017, os dois tiveram um relacionamento por nove meses. Já em setembro deste ano, a médica postou diversos stories (ferramenta da rede social instagram) fazendo várias acusações contra o advogado.

Segundo a nota, Contó não está sendo processado criminalmente. “As medidas impostas de forma cautelar se dão no âmbito cível”, destaca. O advogado também foi até o próprio Fórum de Cuiabá para ser intimado pessoalmente e demonstrar que quer colaborar com a Justiça.

A defesa de Contó também critica que é antiga a ação judicial que culminou na decisão do juiz Jeverson. Assim, eles entendem que o caso não possui contemporaneidade, ou seja, não são atuais, diante das medidas cautelares aplicadas.

“A não contemporaneidade fica evidente na punição ajuizada pelo magistrado, que consiste em uma multa diária de R$ 200 caso haja descumprimento da decisão, algo que se distancia das sanções que o Poder Judiciário vem aplicando aos casos mais recentes – grosso modo, com medidas privativas de liberdade”, pontua.

A assessoria jurídica de Contó informa que analisa o processo para tomar decisões.

Casos

Em setembro, o advogado foi acusado por pelo menos oito mulheres por violências diversas. Entre os relatos estão os das vítimas Laryssa Moraes e Mariana Vidotto, que juntas, ganharam muita repercussão à época. Pelo Instagram, ambas relataram como sofreram as violências no período que cada uma teve relacionamento com o advogado.

Em umas das acusações, a médica Laryssa afirmou que ficou com o rosto desfigurado e que teme, até hoje, as ameaças que recebe do ex. “Eu tenho duas filhas mulheres e não quero que elas um dia passem por isso. Não quero que nenhuma mulher mais passe por isso, então resolvi falar, mesmo muito tempo depois”, diz.

Além delas, todas as vítimas relataram abusos físicos, psicológicos, sexuais e patrimoniais. Entre as denúncias, pelo menos uma foi encaminhada ao Judiciário e acabou arquivada, segundo a defesa do advogado.

Já com Mariana, a desculpa da primeira agressão foi porque um produto que estava na geladeira estava guardado de maneira errada. Ambas as vítimas diziam se sentir intimidadas em falar sobre o assunto, com ameaças de ações judiciais e outras situações em que elas pudessem perder algo.

Fonte: RDnews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *